Friday, July 15, 2011

À sombra do apocalipse

Choveu sangue das tetas de Deus
ao som de um estradivárius
desafinado
choveram pétalas de rosas que se tornaram tarântulas
e derramaram tênue veneno sobre as santas nuas
do místico circo.

Choveu – a tarde inteira –
estrela devida
e indevida
choveram virtuosas cascatas
vermelhas
fogueiras afrodisíacas que se desmanchavam a um sopro
leve.

Choveram pequenos mártires alados
equipados com sangue róseo
e doce.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home